Sidebar

BT Login

Entrar Registrar

Acesse sua conta de usuário

Nome de usuário *
Senha *
Lembrar de mim

Criar uma conta

Todos os campos marcados com asterisco (*) são obrigatórios.
Nome *
Nome de usuário *
Senha *
Verificar senha *
Email *
Verifar email *
Captcha *
NXQwNTY4bWk2cWUxaTk1YzBhYmI0bzZrcjIxNTk3MzMwNTkz Devo investir em um sistema EAM se já tenho um CMMS ou ERP na empresa?
Reload Captcha

BM Slide Login

0 Eventos

Devo investir em um sistema EAM se já tenho um CMMS ou ERP na empresa?

Ferramentas
Fonte
  • Menor Pequena Média Grande Maior
  • Padrão Helvetica Segoe Georgia Times



TAGOUT - BLOQUEIO E ETIQUETAGEM
MAXINST - EAM
IPOG - MBA em Gestão da Manutenção
GMG Service
ENGETAG
Parceiro
TAGOUT - BLOQUEIO E ETIQUETAGEM
MAXINST - EAM
IPOG - MBA em Gestão da Manutenção
GMG Service
ENGETAG
Parceiro

(Maxinst) Dúvida comum entre gestores de manutenção e ativos corporativos, a necessidade de investir em um sistema EAM é um dilema que geralmente faz com que as empresas mantenham o status quo, o que impede que elas se modernizem, afinal, a gestão de manutenção e ativos tornou-se fator fundamental para garantir valor de mercado, assim como para manter as empresas competitivas no cenário globalizado, através da otimização dos processos para elevar o desempenho produtivo, operacional e financeiro das empresas.

Acompanhar e controlar o clico de vida dos ativos, desde a concepção do projeto, passando pela aquisição, manutenção, reforma, até a venda ou descarte final, já não é mais uma opção para as empresas que desejam competir com as multinacionais que adotaram a gestão de manutenção e de ativos através de sistemas EAM como benchmarking da indústria 4.0.

A cultura empresarial da escola de administração do Pós-Toyotismo

Vivemos em um momento de transição histórica, pois assim como o modo de produção da Ford foi sucedido pelo da Toyota em meados do século XX, o modo de produção vigente já agoniza na direção da indústria 4.0, especula-se inclusive que a Tesla será determinante na constituição do modo de produção da próxima geração da indústria.

Tais especulações ganharam fôlego através de empresas coligadas à Tesla, como por exemplo a SpaceX, que surpreendeu o mundo ao pousar foguetes propulsores Falcon 9, utilizados em missões espaciais, para reutilizá-los em outras missões, o que expõe evidências da cultura do Pós Toyotismo, que provavelmente vai girar em torno da gestão de ativos corporativos, uma vez que são eles que agregam valor de mercado e tornam as empresas mais competitivas do ponto de vista do desempenho produtivo, operacional e financeiro.

O prazo de validade dos sistemas CMMS

Ao tornar ativos descartáveis em ativos reutilizáveis, a Tesla demonstrou que o futuro das empresas depende da sinergia empregada na gestão de manutenção e principalmente na gestão de ativos, logo, os Computerized Maintenance Management System (CMMS), desenvolvidos para auxiliar especificamente na gestão de manutenção, estão com os dias contados, uma vez que os Enterprise Asset Management (EAM), além de auxiliarem na gestão de manutenção, podem ser integrados facilmente a ferramentas e recursos de Inteligência Artificial e Internet das Coisas, mas com o diferencial de atender também os requisitos da famigerada gestão de ativos, que inclusive foi normatizada em 2014 conforme descrito no artigo Saiba as diferenças entre os sistemas EAM, CMMS e ERP na gestão de manutenção e ativos.

Deste modo, é possível observar um movimento abrupto das empresas de engenharia de software, na direção de transformar sistemas CMMS em EAMs, para agregar também a gestão de ativos e adaptá-los ao contexto contemporâneo, ou seja, a tendência é de que os sistemas CMMS entrem em extinção, forçando os melhores a migrar de categoria para EAM.

O custo-benefício dos sistemas ERPs

Outra alternativa aos EAM, são os sistemas ERPs, que em muitos casos são inviáveis devido a diversos fatores como custo-benefício, superdimensionamento, infraestrutura e recursos financeiros e humanos necessários para implantá-los e mantê-los funcionando.

Como deliberar corretamente no momento de definir o melhor sistema

Ao deliberar acerca do sistema a ser implantado, o gestor de manutenção e ativos corporativos, deve preocupar-se principalmente com os resultados que o sistema trará no médio e no longo prazo, contudo aspectos importantes a serem considerados são:

  • Custo benefício
  • Dimensionamento adequado
  • Infraestrutura necessária
  • Recursos financeiros necessários (Suporte, personalizações, licenças, acesso)
  • Recursos humanos necessários (Mão-de-obra, cursos, treinamentos)
  • Acessibilidade
  • Uptime e Downtime de servidores
  • Portabilidade
  • Responsividade

Enfim, a decisão sobre investir ou não na aquisição e implantação de um sistema EAM é única e intransferível do gestor, devido as particularidades de cada empresa, contudo algo que é intransferível e o gestor não pode mudar é a tendência que a norma ISO 55000 alavancou a partir do ano de 2014.

Logo, se a sua empresa possui um sistema CMMS, a Maxinst recomenda que você analise e estude a substituição ou migração para um sistema como o Maxinst EAM, se sua empresa já possui um sistema ERP, a Maxinst recomenda a análise da possibilidade de integração de um EAM a ele, mas caso sua empresa ainda não possua um sistema informatizado para auxiliar na gestão de manutenção e ativos, entre em contato conosco para consultar um especialista, que poderá te ajudar a dimensionar a solução mais adequada para a sua necessidade.

via MAXINST

MAXINST

 

Texto: Segunda edição publicada na Revista Manutenção sob licença Creative Commons  Licença Creative Commons
Imagens: As imagens possuem licenças específicas, consulte as respectivas legendas
Dúvida disponibilizada por @creativeart via Freepik sob licença grátis com atribuição 
COMENTE, DEBATA, DISCUTA OU DEIXE A SUA OPINIÃO RESPEITOSAMENTE
Os comentários não representam a linha editorial, tampouco a opinião dos articulistas e editores da Revista Manutenção, e estão sujeitos a moderação, pois são de responsabilidade exclusiva de seus autores.

Caso encontre algo ofensivo que viole a legislação vigente no Brasil ou os termos de uso, DENUNCIE.

DETALHES SOBRE O AUTOR
maxinst Devo investir em um sistema EAM se já tenho um CMMS ou ERP na empresa?
Maxinst
Nome: Maxinst
Website: http://maxinst.com.br/
E-mail: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Especialistas em Gestão de Ativos e Serviços


   Redes sociais: 
linkedin Devo investir em um sistema EAM se já tenho um CMMS ou ERP na empresa?
 
facebook Devo investir em um sistema EAM se já tenho um CMMS ou ERP na empresa?
 
twitter Devo investir em um sistema EAM se já tenho um CMMS ou ERP na empresa?
 
google Devo investir em um sistema EAM se já tenho um CMMS ou ERP na empresa?
 
youtube Devo investir em um sistema EAM se já tenho um CMMS ou ERP na empresa?
 
Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.




APRESENTAÇÃO:

Maxinst empresa de tecnologia da informação, especializada em soluções para gestão de ativos e serviços. Parceiro IBM. Especialistas em reduzir custos através de tecnologias que otimizam as operações de sua empresa. Implantamos soluções para controle e planejamento, que reduzem custos com manutenção e infraestrutura de TI, aumentando a produtividade. Nossas habilidades, processos e técnicas nos permitem enfrentar qualquer desafio em: Gestão de ativos corporativos (EAM) e Internet das Coisas (IoT) Gestão de serviços TI e não-TI; Gestão das operações em TI (ITSM) Gestão da infraestrutura de TI

CERTIFICAÇÕES:

certificacoes-maxinst Devo investir em um sistema EAM se já tenho um CMMS ou ERP na empresa?


Avalie esta publicação: 1 1 1 1 1 Nota 0% (0 Votos)
Compartilhar

Redes Sociais

 

 
 

Anúncios

Livros recomendados

Ainda não é registrado? Registre-se agora!

ÁREA DO ASSINANTE