Sidebar

BT Login

Entrar Registrar

Acesse sua conta de usuário

Nome de usuário *
Senha *
Lembrar de mim

Criar uma conta

Todos os campos marcados com asterisco (*) são obrigatórios.
Nome *
Nome de usuário *
Senha *
Verificar senha *
Email *
Verifar email *
Captcha *
YjRpYzNscGxhM25zcmZxcm41N3NkNGhxNzExNTg2MjAwMjYz BOCUTATU e se o analfabeto fosse o diretor? - Revista Manutenção
Reload Captcha

BM Slide Login

BOCUTATU: Como seria se o analfabeto fosse o diretor?

Ferramentas
Fonte
  • Menor Pequena Média Grande Maior
  • Padrão Helvetica Segoe Georgia Times



TAGOUT - BLOQUEIO E ETIQUETAGEM
MAXINST - EAM
IPOG - MBA em Gestão da Manutenção
GMG Service
ENGETAG
Parceiro
TAGOUT - BLOQUEIO E ETIQUETAGEM
MAXINST - EAM
IPOG - MBA em Gestão da Manutenção
GMG Service
ENGETAG
Parceiro

A web democratizou a comunicação de uma forma que trouxe imensuráveis benefícios para a humanidade, porém é necessário considerar que alguns efeitos colaterais surgiram com o advento das redes sociais, que nos presenteou com o surgimento das notícias falsas (fake news) que não prosperavam na web, devido a inexistencia de um canal para difundí-las através do engajamento social, o que passou a acontecer em larga escala através do Okrut, Facebook, Google+, Twitter e Whats app.

Produzidas por diversão, passatempo e até mesmo por maldade, as notícias falsas tonaram-se instrumento de difusão de mentiras, boatos, conjecturas, conspirações e são frequentemente utilizadas para semear preconceito, discórdia, ódio e desinformação, o que já despertou a atenção das autoridades que estão criando instrumentos e agências de checagem de fatos, para filtrar o que é notícia do que é pseudo notícia.

Recentemente as notícias falsas passaram a ser produzidas e difundidas em larga escala, como isca (Clickbait) para atraír cliques e monetizar vídeos, sites e blogs, através de anúncios e da mineração de bitcoins, o que fez delas um problema que deve ser enfrentado e combatido, enquanto isso ainda é possível, caso contrário a web que outrora sonhamos como um veículo de difusão de conhecimento e informação, será trágicamente reduzida a um veículo difusor de desinformação.

Como o facebook já está insuportável, dada a quantidade de notícias falsas e clickbaits que circulam por lá, passei a utilizar com maior frequência o Linkedin, na esperança de encontrar uma rede limpa, mas me decepcionei ao me deparar com mentiras maldosas, como a publicação à seguir, que foi compartilhada pelo Diretor Comercial de uma empresa nacional de médio porte.

Publicação Bocutatu no LinkedinMontagem compartilhada nas redes sociais

Ao visualizar a imagem, logo desconfiei da veracidade, primeiramente, porque quem conhece ou lida com os profissionais que atuam com montagem e manutenção industrial, sabe que eles são instruídos e na maioria dos casos possuem ensino técnico, o que já é motivo para desconfiar do suposto erro na montagem do letreiro do Shopping Botucatu.

Shopping BocutatuMontagem compartilhada nas redes sociais

Também considerei que os serviços de montagem e manutenção, possuem encarregados e supervisores, cuja função é atuar como liderança, para evitar que esse tipo de erro aconteça, ou seja, além desses dois motivos que qualquer ser pensante teria para desconfiar que tratava-se de uma montagem, ainda tem o fato de que a foto compartilhada estava em baixa resolução, algo típico de montagens realizadas em programas de edição de imagem.

Para ter certeza, de que eu estava diante de mais uma notícia falsa, propagada via rede social, fui no google e pesquisei sobre o assunto da foto (Bocutatu), e para a minha surpresa, deparei-me com a confirmação de que tratava-se de uma montagem nos três primeiros resultados do mecanismo de pesquisa, e para piorar ao pesquisar o termo no google imagens, encontrei facilmente a foto original que é a seginte:

Shopping BotucatuFoto original cujo autor é desconhecido

Tendo em vista que o Diretor Comercial de uma empresa nacional de médio porte compartilhou uma montagem mal feita no Linkedin, e ainda chamou o suposto responsável por inverter as letras da palavra Botucatu durante a instalação do letreito, por Bocutatu, o que na realidade foi feito com um programa de edição de imagem, eu fico tranquilo, afinal poderia ser bem pior, imagine se o analfabeto tivesse diploma e trabalhasse no andar de cima compartilhando ilações para atacar deliberadamente quem trabalha no andar de baixo... Isso seria muito triste, senão um espetáculo patético de soberba, despreparo e ausência total de ética profissional.

Texto: Primeira edição publicada na Revista Manutenção sob licença Creative Commons  Licença Creative Commons
Imagens: As imagens possuem licenças específicas, consulte as respectivas legendas
Shopping Botucatu disponibilizada por autor desconhecido
Shopping Bocutatu
 reprodução de uma rede social
COMENTE, DEBATA, DISCUTA OU DEIXE A SUA OPINIÃO RESPEITOSAMENTE
Os comentários não representam a linha editorial, tampouco a opinião dos articulistas e editores da Revista Manutenção, e estão sujeitos a moderação, pois são de responsabilidade exclusiva de seus autores.

Caso encontre algo ofensivo que viole a legislação vigente no Brasil ou os termos de uso, DENUNCIE.

DETALHES SOBRE O AUTOR
fauzi-mendonca BOCUTATU e se o analfabeto fosse o diretor? - Revista Manutenção
Fauzi Mendonça
Nome: Fauzi Mendonça
Website: http://www.revistamanutencao.com.br
E-mail: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Engenheiro em Eletrônica


   Redes sociais: 
linkedin BOCUTATU e se o analfabeto fosse o diretor? - Revista Manutenção
 
facebook BOCUTATU e se o analfabeto fosse o diretor? - Revista Manutenção
 
twitter BOCUTATU e se o analfabeto fosse o diretor? - Revista Manutenção
 
google BOCUTATU e se o analfabeto fosse o diretor? - Revista Manutenção
 
youtube BOCUTATU e se o analfabeto fosse o diretor? - Revista Manutenção
 
Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.




APRESENTAÇÃO:

Fundador, Diretor Editorial e Colunista da Revista Manutenção, escreve regularmente sobre diversos assuntos relacionados ao cotidiano da área de manutenção.

Desenvolvedor Web nas horas vagas, é o responsável pelo design, layout, diagramação, pela elaboração da identidade visual e da logomarca da Revista Manutenção.

FORMAÇÃO ACADÊMICA E EXPERIÊNCIA PROFISSIONAL:

Profissional graduado em Engenharia Eletrônica com ênfase em automação e controle industrial, pela FAT (Faculdade Anhanguera de Tecnologia) de São Bernardo, atua há mais de treze anos com Planejamento e Controle de Manutenção (PCM), em empresas de médio e grande porte, nacionais e multinacionais, onde edificou carreira profissional como Programador, Planejador, Analista e Coordenador de PCM.


Avalie esta publicação: 1 1 1 1 1 Nota 0% (0 Votos)
Compartilhar

Redes Sociais

 

 
 

Anúncios

Livros recomendados

Ainda não é registrado? Registre-se agora!

ÁREA DO ASSINANTE